Sem vestibular: vagas olímpicas abrem portas para as universidades

sem-vestibular:-vagas-olimpicas-abrem-portas-para-as-universidades
Jornal Lagoa News

Lucas já participou de 12 competições

Divulgação/Arquivo pessoal

Conhece as vagas olímpicas? Universidades públicas como USP (Universidade de São Paulo), Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Unesp (Universidade Estadual Paulista) e Unifei (Universidade Federal de Itajubá-MG) oferecem vagas para jovens medalhistas em Olimpíadas de Conhecimento na graduação, sem necessidade de vestibular. Participar dessas competições também é um caminho para conquistar uma vaga em uma universidade estrangeira.

De olho no futuro, adolescentes têm se empenhado em conquistar medalhas nessas competições. Lucas Maciel, 15 anos e Anylla Duarte, 15 anos são estudantes medalhistas das Escolas IDAAM associadas à Inspira Rede de Educadores.

A primeira experiência de Lucas nessas competições foi na OBA (Olimpíadas de Astronomia). Atualmente, ele já conta com a participação em 12 competições no currículo escolar como Olimpíadas de Ciências, Matemática, História e também da Mostra Brasileira de Foguetes.

O estudante explica que as olimpíadas podem contribuir para que os alunos possam se preparar em provas, concursos e vestibulares. “O ideal é participar desde pequeno para já adquirir uma cultura olímpica”, explica. Lucas também conta que sonha com uma vaga na universidade federal. “Penso em prestar vestibular em Engenharia e me dedicar para alcançar uma vaga na Unesp, que oferece vagas para Olimpíadas Científicas”, diz o medalhista de ouro em 2020 na OBA e Olimpíadas Nacional de Ciências.

Jovens atletas do Brasil aproveitam habilidades para conseguir bolsa e morar fora

Anylla já conquistou 19 medalhas

Reprodução IDAAM

Para Anylla, que já conquistou 19 medalhas em competições olímpicas, “são projetos importantes que criam oportunidades para a carreira profissional. A cada participação eu adquiro novos conhecimentos”, conta a estudante que sonha em ingressar em uma universidade no exterior.

Marcos Antônio Ferreira é professor e supervisor de olimpíadas no IDAAM. Para ele o campeonato possibilita aos alunos a abrir novos horizontes e caminhos inimagináveis. “Todas as universidades estão de olho nestes alunos que se destacam com o objetivo de aproximá-los aos estudos por meio das olimpíadas do conhecimento”.

*Estagiário sob supervisão de Karla Dunder

Veja também

  • CineOP debate uso pedagógico do cinema em tempo de aulas remotas

    Educação

    CineOP debate uso pedagógico do cinema em tempo de aulas remotas

     


  • Enem 2021: Confira o passo a passo para realizar a inscrição no exame

    Educação

    Enem 2021: Confira o passo a passo para realizar a inscrição no exame

     


  • Bolsas permitem que atletas continuem com os estudos  

    Educação

    Bolsas permitem que atletas continuem com os estudos

     

Jornal Lagoa News
Paulo da Costa
Jornalista e escritor, repórter do Jornal Lagoa News.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.