Paraguai volta à quarentena para tentar reduzir contágios

paraguai-volta-a-quarentena-para-tentar-reduzir-contagios
Jornal Lagoa News

Contaminações pelo novo coronavírus têm crescido no Paraguai Contaminações pelo novo coronavírus têm crescido no Paraguai – Nathalia Aguilar / EFE – Arquivo

O governo do Paraguai anunciou nesta quarta-feira (24) o retorno à quarentena a partir de sábado até o dia 4 de abril, de modo a frear o ritmo de contágios de coronavírus ao longo da Semana Santa, já que o país vive uma situação crítica, com hospitais públicos e privados colapsados.

Leia também: Paraguai enfrenta segunda onda de casos de covid-19

“Todos os habitantes deverão permanecer em seus domicílios habituais, ou onde estiverem, e poderão realizar deslocamentos mínimos e indispensáveis para providenciar alimentos, medicamentos e produtos de limpeza”, comentou o chefe do Gabinete Civil da Presidência, Hernán Huttemann, em entrevista coletiva após uma reunião do governo.

O presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, se reuniu há alguns dias com o gabinete para definir as medidas para a Semana Santa.

As pessoas poderão se deslocar entre as 5h e as 20h, enquanto comércios não essenciais e estabelecimentos não gastronômicos poderão operar 24 horas com entrega a domicílio. As instituições de ensino básico e superior terão que seguir com as aulas virtuais, e as construções poderão continuar.

As instituições estatais, os serviços de saúde públicos e privados e os comércios essenciais, como farmácias e supermercados, assim como suas cadeias logísticas, continuarão funcionando normalmente.

Menos deslocamentos

 

Com as novas medidas, o governo espera reduzir os deslocamentos na Semana Santa e evitar a propagação do vírus de Assunção e do departamento Central, os principais focos, para o interior do país.

Por esse motivo, o governo também proibiu a circulação de automóveis para curta, média e longa distância, mas o transporte público está garantido na área metropolitana.

“As medidas têm que ser tomadas. Se não forem tomadas a tempo, vamos lamentar”, insistiu Huttermann.

Veja também

  • Ministro da Saúde paraguaio deixa cargo em meio à crise e críticas

    Internacional

    Ministro da Saúde paraguaio deixa cargo em meio à crise e críticas

     


  • Governistas barram impeachment de presidente do Paraguai

    Internacional

    Governistas barram impeachment de presidente do Paraguai

     


  • Estudantes brasileiros fazem apelo à Argentina para entrar no país

    Internacional

    Estudantes brasileiros fazem apelo à Argentina para entrar no país

     

No entanto, hotéis e albergues serão autorizados a permanecer abertos para pessoas que residam no mesmo departamento ou para aqueles que fizeram reservas antes de o decreto ser divulgado.

Para assegurar o cumprimento das medidas, a polícia e as Forças Armadas exercerão “um controle rigoroso” em todo o país e seguirão “os procedimentos mais rigorosos” com aqueles que não cumprirem, de acordo com o subcomandante da Polícia Nacional, Victor Balbuena.

Apesar das restrições internas, as fronteiras do país permanecerão abertas, segundo María de los Ángeles Arriola, chefe da Direção-Geral de Migrações.

Guillermo Sequera, diretor da Vigilância Sanitária, disse que não faz mais sentido fechar as fronteiras com o Brasil porque o vírus também se encontra no país e que existe o mesmo risco de contrair a doença.

O Paraguai registrou o primeiro caso de covid-19 no dia 7 de março de 2020. Desde então, o país confirmou 198.135 casos, entre eles 3.818 mortes e 162.879 recuperações, de acordo com o Ministério da Saúde.

Jornal Lagoa News
Rubens Britto

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.