Orçamento de SP é aprovado com verba menor para a Fapesp

orcamento-de-sp-e-aprovado-com-verba-menor-para-a-fapesp
Jornal Lagoa News
Orçamento de SP é aprovado com verba menor para a Fapesp

Orçamento de SP é aprovado com verba menor para a Fapesp
Divulgação

Em sessão extraordinária realizada na quarta-feira (16), que se estendeu pela madrugada de quinta (17), a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou a Lei Orçamentária Anual (LOA). O texto foi aprovado por 42 votos a favor e 31 contrários.

O projeto de lei foi enviado à Casa pelo governador João Doria (PSDB) e estima um orçamento de R$ 246,3 bilhões para 2021 – valor 3% superior ao deste ano. Entre os pontos polêmicos do texto está a retirada de R$ 454 milhões do orçamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), responsável por financiar a pesquisa científica no Estado, a partir da desvinculação de 30% da receita prevista.

Segundo o governo estadual, porém, decretos complementares que serão editados em 2021 irão recompor o orçamento da fundação, sem qualquer tipo de perda ou corte. Não há data ainda para isso.

Pelo texto aprovado, a entidade terá R$ 1,06 bilhão de verba no próximo ano – e não R$ 1,5 bilhão como seria sem a inclusão no projeto do porcentual máximo (30%) de Desvinculação de Receita de Estados e Municípios (DREM).

O dispositivo permite ao governo Doria remanejar verbas para outras finalidades, mas, de acordo com a Secretaria de Estado de Planejamento, ele não será usado. A afirmação também foi dada pelo líder do governo na Alesp, Carlão Pignatari (PSDB).

Um outro artigo, também aprovado ontem, assegura, em tese, a integralidade dos recursos da Fapesp. Elaborado pelo próprio governo, o texto diz que o Poder Executivo fará os ajustes necessários, por meio de decretos durante a execução orçamentária de 2021, a fim de que sejam cumpridos o disposto no artigo 271 da Constituição do Estado de São Paulo, que prevê a destinação de 1% do ICMS para a Fapesp.

Em nota, o Palácio dos Bandeirantes afirmou que com esse artigo “não existe a menor possibilidade legal de o governo não cumprir a integralidade dos recursos da Fapesp”. “É lei e ainda tem respaldo na própria Constituição Estadual”, informou.

Na segunda-feira, 14, o secretário de Planejamento, Mauro Ricardo, afirmou ao Estadão que a manutenção da previsão da DREM no orçamento, a partir das tabelas de receitas e despesas da Fapesp, se deu porque, na proposta original, os R$ 454 milhões retirados da entidade já haviam sido distribuídos entre outros órgãos públicos. “Caso a DREM fosse retirada, seria preciso identificar quais seriam os órgãos que perderiam recurso e a votação do orçamento poderia atrasar”, disse.

No fim de novembro, Doria publicou um vídeo ao lado do presidente da fundação, Marco Antonio Zago, negando que haveria o corte. “Nós não vamos aplicar a DREM, que poderia gerar algum prejuízo à Fapesp. Ao contrário, estabelecemos ontem (26 de novembro) uma produtiva reunião no Palácio dos Bandeirantes para somar força em investimentos”, disse Doria no vídeo.

A oposição agora pede que Doria vete o anexo do texto que contém as tabelas relativas à desvinculação de receitas da Fapesp o que segundo o governo, não pode ser feito.

Jornal Lagoa News
Rubens Britto

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.