Nascido na guerra, menino de 10 anos sustenta família na Síria

nascido-na-guerra,-menino-de-10-anos-sustenta-familia-na-siria
Jornal Lagoa News

Quando Mohammed Abu Rdan nasceu, há 10 anos, começavam os primeiros protestos contra o presidente Bashar al-Assad, na Síria. A repressão militar contra os manifestantes deu início ao conflito generalizado, que se transformou na guerra que já destrói o país há uma década. A ONU calcula que pelo menos 500 mil pessoas morreram e milhões deixaram suas casas ao longo desse período

Dez anos de guerra na Síria levam multidão para as ruas do país

Sem ter o direito a uma infância normal, Mohammed acabou se tornando a única fonte de sustento para o pai, que não pode trabalhar devido a uma doença cardíaca, a mãe e as três irmãs. Eles vivem em uma barraca em um campo de refugiados no norte de Aleppo, província que fica na fronteira com a Turquia

Jornalista americano é libertado 6 meses após sequestro na Síria

Segundo a Unicef, o fundo da ONU para a infância, 90% das crianças da Síria precisam de assistência humanitária, um crescimento de 20% em relação ao ano passado. Com dez anos de guerra, quase 2,45 milhões de crianças na Síria e outros 750 mil que tiveram de deixar o país estão sem estudar, de acordo com o órgão

Al-Assad completa 20 anos no poder na Síria: da ‘moderação’ à guerra

Para se proteger do frio inverno da Síria, que além das baixas temperaturas tem chuvas torrenciais e neve, Mohammed precisou aprender a manejar o fogareiro com botijão de gás e faz chá para toda a família como se fosse um adulto

Campanha arrecada fundos para ajudar família de menina síria

“Nós tínhamos uma casa e eu ia para a escola todos os dias, Então precisamos vir para cá eles destruíram tudo, a nossa casa e a escola”, conta o menino. A vila de Masharyoun, onde ele vivia, foi retomada por tropas leais a al-Assad, ajudadas pela Rússia e milícias apoiadas pelo Irã. A família, no entanto, está em um acampamento numa área controlada por rebeldes ajudados pela Turquia

Preço da comida dispara na Síria, e ONU ressalta necessidade de ajuda

Mohammed acorda todos os dias às 6h e sai do acampamento para ir até a fábrica onde trabalha, que fica a cerca de 10 quilômetros do local

EUA impõem sanções econômicas ao presidente da Síria e familiares

Chegando à estrada, ele sempre tenta uma carona para ir até a fábrica, mas nem sempre é possível

Grécia reforça controle da fronteira com Turquia para barrar refugiados

“Se ninguém para na estrada, acabo indo a pé mesmo. Fico na fábrica até anoitecer, depois volto para casa e só consigo comer, deitar e dormir”, conta o menino

Pai e filha que riam de bombas na Síria se refugiam na Turquia

Mohammed passa o dia separando e embalando esponjas de aço na fábrica. Trabalhando 10 horas diárias, ele consegue ganhar 100 liras turcas (o equivalente a US$ 13 ou R$ 73) por mês. O dinheiro é turco por causa dos rebeldes que controlam a região. Essa é toda a renda da família

Segundo a Unicef, mais de 75% de todas as violações graves contra crianças registradas na Síria em 2020, incluindo assassinatos, mutilação, recrutamento para lutar, violência sexual e ataques contra escolas, aconteceram na região noroeste do país. Em um conflito herdado dos adultos e que parece não ter fim, as novas gerações são as mais vulneráveis

Jornal Lagoa News
Paulo da Costa
Jornalista e escritor, repórter do Jornal Lagoa News.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.