“Não teremos outro dia como ontem, chega”, diz Bolsonaro em recado ao STF

Após pedidos de diligências do STF contra as milícias digitais do bolsonarismo, o presidente disse que "ordens absurdas não se cumprem" e que "temos que botar limites"

Jornal Lagoa News

Por Jornal GGN Na saída do Palácio do Alvorada nesta quinta (28), Jair Bolsonaro decidiu subir o tom contra o Supremo Tribunal Federal. “Não teremos outro dia como ontem, chega”, disparou o presidente, segundo declaração transmitida pela rede CNN Brasil. Ele ainda disse que “ordens absurdas não se cumprem” e que “temos que botar limites”.

Na quarta (27), empresários, influenciadores e deputados bolsonaristas foram alvos de diligências determinadas pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito das fake news no STF. Moraes autorizou busca e apreensão na casa de blogueiros, quebra de sigilo fiscal e bancário contra empresário e tomada de depoimento dos parlamentares.

Bolsonaro passou o dia reunido com membros do governo, discutindo a reação. O Ministério da Justiça decidiu pedir habeas corpus para Abraham Weintraub e qualquer alvo do inquérito, alegando que há interferência do STF em outro Poder.

Na saída do Alvorada, Bolsonaro defendeu a legalidade das milícias bolsonaristas. “Querem tirar a mídia que eu tenho a meu favor sob o argumento mentiroso de fake news”, argumentou.

Para ele, a “liberdade de expressão é algo sagrado entre vocês [imprensa] e também entre a mídia alternativa. Não podemos ficar apenas tendo a nossa disposição um lado, a tradicional ou a mídia social. Os dois lados vão conviver.”

Na quarta (27), em live no canal Terça Livre, Eduardo Bolsonaro afirmou que o inquérito do STF não será tolerado. Ele denotou que haverá uma escalada autoritária. “Eu entendo essas pessoas que querem evitar esse momento de caos, mas falando abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de se, mas de quando isso vai ocorrer.”

Jornal Lagoa News
Rubens Britto

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.