Moradora do Capão Redondo, filha de zelador é aprovada em medicina

moradora-do-capao-redondo,-filha-de-zelador-e-aprovada-em-medicina
Jornal Lagoa News

Mavi conseguiu bolsa para Medicina

Arquivo Pessoal

Maria Vitória de Oliveira Lima, 20 anos, a Mavi, nasceu e cresceu no bairro do Capão Redondo, zona sul de São Paulo. Filha de uma professora da educação infantil e de um zelador, a menina da periferia conseguiu uma vaga e uma bolsa de estudos no disputado curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas Albert Einstein.

“Minha mãe foi um exemplo, eu gostava de acompanhar a dedicação dela preparando as atividades para os alunos, pedia para fazer também”, conta. “Amava fazer o caça-palavras e minha mãe dizia que eu só faria depois do ditado.”

Foi com a mãe que Mavi entendeu a importância da educação para sua vida. “Aos 12 anos, eu dedici morar com o meu pai, como ele é zelador precisa dormir no trabalho, e as escolas da região central são melhores que as do Capão Redondo”, diz.

A menina foi morar no bairro de Pinheiros e passou a estudar na E.E. Godofredo Furtado. “Ainda assim, tinha aula vaga, mas os professores e a qualidade de ensino era muito melhor.”

Na escola, Mavi conheceu o projeto Ipê, formado por ex-alunos do Colégio Santa Cruz. A ideia era oferecer aulas de reforço, um cursinho, para que estudantes da rede pública pudessem estudar no colégio. “Fiz as aulas e prestei o vestibulinho com dedicação, mas sem acreditar que conseguiria ser aprovada, estava tão tranquila, que passei e consegui uma bolsa.”

“A realidade do colégio era muito diferente da minha, as pessoas tinham outras referências, falavam de Orlando se referindo à Disney e eu não sabia”, lembra. “Estudava muito, mas mesmo assim fiquei de recuperação em algumas matérias, o que era natural para alguém que veio de outra escola.”

No terceiro ano do ensino médio, Mavi pensou em cursar Medicina, “mas achei que teria de deixar para o futuro, porque minha mãe precisaria me sustentar por mais seis anos sem que eu trabalhasse.”

Nesse período, ela conheceu o Instituto Sol, uma entidade que promove o acesso de jovens de baixa renda ao ensino médio e superior. Além da bolsa, os jovens recebem auxílio durante toda a trilha educacional, até o fim do ensino superior. Os estudantes recebem alimentação, transporte, saúde, material didático, uniforme e suporte psicológico e profissional para o desenvolvimento acadêmico,social e de carreira.

“Com esse suporte, eu consegui fazer três anos de cursinho para conseguir realizar meu sonho”, conta. “Neste último ano, com as aulas online, a precisei me concentrar mais, demorei para entrar no ritmo, sentia falta de um local adequado para estudar, os vizinhos faziam barulho e o instituto me ofereceu um espaço para estudar.”

Aprovada em Medicina a Faculdade de Ciências Médicas Albert Einstein, Mavi conseguiu uma bolsa de estudos integral. “Penso em trabalhar com Medicina da Família ou obstetrícia, quero fazer pós-graduação e poder trabalhar com as pessoas que vivem nas periferias.”

Jornal Lagoa News
Paulo da Costa
Jornalista e escritor, repórter do Jornal Lagoa News.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.