MEC proíbe cobrança de vacina contra a Covid nas universidades

mec-proibe-cobranca-de-vacina-contra-a-covid-nas-universidades
Jornal Lagoa News
Instituto Central de Ciências da Universidade de Brasília

Instituto Central de Ciências da Universidade de Brasília
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O MEC (Ministério da Educação) proibiu as instituições federais de ensino de cobrar a vacina contra a Covid-19 como pré-requisito para o retorno às atividades presenciais. A determinação foi dada em um despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (30).

Veja também

  • Governo investirá R$ 3,5 bilhões em internet para educação

    Brasília

    Governo investirá R$ 3,5 bilhões em internet para educação

     


  • Bolsonaro sanciona lei que altera regulamentação do Fundeb

    Brasília

    Bolsonaro sanciona lei que altera regulamentação do Fundeb

     


  • MEC unificará dados de estudantes em um aplicativo até junho de 2023

    Educação

    MEC unificará dados de estudantes em um aplicativo até junho de 2023

     

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, assina a ordem. “Não é possível às instituições federais de ensino o estabelecimento de exigência de vacinação contra a Covid-19 como condicionante ao retorno das atividades educacionais presenciais”, afirma o texto.

Segundo o despacho, compete às instituições a implementação de medidas sanitárias não farmacológicas. O argumento de Ribeiro é que a exigência da vacinação só poderia ser determinada por lei.

“No caso das universidades e dos institutos federais (…), a exigência só pode ser estabelecida mediante lei federal, tendo em vista se tratar de questão atinente ao funcionamento e à organização administrativa de tais instituições, de competência legislativa da União”, encerra o despacho.

Jornal Lagoa News
Paulo da Costa
Jornalista e escritor, repórter do Jornal Lagoa News.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.