Japão vai ampliar estado de emergência além de Tóquio

japao-vai-ampliar-estado-de-emergencia-alem-de-toquio
Jornal Lagoa News

Governo japonês pode decretar estado de emergência em mais regiões Governo japonês pode decretar estado de emergência em mais regiões  –  Kim Kyung-Hoon/Reuters – 10.1.2020

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, disse em uma reunião do partido governista na terça-feira (12) que vai declarar estado de emergência para as três prefeituras ocidentais de Osaka, Kyoto e Hyogo para conter a disseminação de covid-19, segundo a agência de notícias Kyodo.

Em resposta à pressão de Tóquio e de três prefeituras vizinhas no leste do Japão, Suga declarou na semana passada estado de emergência de um mês para aquela região até 7 de fevereiro.

Mas o número de casos de coronavírus também aumentou no oeste, o que levou Osaka, Kyoto e Hyogo a buscar o estado de emergência também. O governo está finalizando planos para fazê-lo na quarta-feira e também pode considerar acrescentar as prefeituras centrais de Aichi – onde fica a Toyota Motor Corp – e Gifu, informou a Kyodo, citando fontes do governo.

Adicionar essas cinco prefeituras significaria um estado de emergência para cerca de metade da população do Japão de 126 milhões de pessoas. O principal porta-voz do governo japonês, secretário-chefe de gabinete Katsunobu Kato, não confirmou a reportagem, dizendo apenas que o governo consideraria medidas para uma “resposta rápida” para a região de Osaka.

De acordo com a lei japonesa, o primeiro-ministro pode declarar estado de emergência, o que dá às autoridades locais a base legal para pedir aos moradores e empresas que restrinjam os movimentos e o trabalho.

Suga tem sido criticado pelo que muitos chamaram de uma resposta lenta, confusa e fragmentada à pandemia, à medida que as infecções chegam a níveis recordes.

Jornal Lagoa News

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.