Incidência de covid nas escolas de SP é menor do que a média paulista

incidencia-de-covid-nas-escolas-de-sp-e-menor-do-que-a-media-paulista
Jornal Lagoa News

Incidência de covid nas escolas de SP é menor do que a média paulistaIncidência de covid nas escolas de SP é menor do que a média paulista  –  Rivaldo Gomes/Folhapress

A incidência de covid nas escolas públicas e particulares desde a primeira semana de janeiro foi de 41 casos por 100 mil habitantes, enquanto no Estado de São Paulo é de 1.393 por 100 mil, mais de 30 vezes maior. Os dados são da Secretaria Estadual de Educação, que criou um sistema de notificação e monitoramento para ser acessado obrigatoriamente pelas escolas quando houver estudantes e profissionais sintomáticos ou já com resultado do teste. Foram 4.084 casos confirmados de alunos ou profissionais contaminados nesse período – 59% na rede estadual e 37% na particular.

O Estado tem cerca de 9 milhões de alunos nas redes pública e privada. Foram notificadas 21 mortes, de 2 alunos e 19 servidores. Segundo a secretaria, os casos ainda estão sendo investigados para saber se houve, de fato, relação com a escola ou se eles já haviam se infectado antes da abertura. Cerca de 2 mil do total de 29 mil escolas paulistas notificaram casos confirmados, a maior parte na rede pública. Desde que as aulas presenciais foram autorizadas, esse é o primeiro estudo sobre covid na educação do Estado.

“São dados preliminares, mas que mostram que a escola é, sim, um ambiente seguro e deve ser parte de um processo de abertura”, disse o epidemiologista Wanderson de Oliveira, ex-secretário do Ministério da Saúde e coordenador da Comissão Médica da Educação do Estado de São Paulo, que auxilia a secretaria na abertura das escolas. A educação foi autorizada a funcionar no dia 1 de fevereiro em São Paulo, quando a rede particular começou as aulas presenciais.

A partir dos dados do Simed (Sistema de Informação e Monitoramento da Educação) para covid-19, também foi possível analisar que em regiões do Estado onde há mais contaminação as escolas também tiveram maior número de casos, como em Araraquara e São José do Rio Preto. “É importante olhar onde essa correspondência ocorreu, mas também onde não ocorreu, para investigar e tomar medidas mais restritivas, como fechar escolas, se houver mesmo mais transmissão”, diz Oliveira. Uma delas é a região de Itapeva no sul do Estado.

Oliveira explica que a intenção é, em breve, ligar totalmente o sistema da Educação com o da Saúde para que haja acompanhamento dos casos. Atualmente, a escola apenas notifica e aguarda que a unidade de saúde local tome as providências sobre tratamento e testes. O próprio aluno ou professor que tiver um exame confirmado para covid depois precisa informar a escola. A rede privada, no entanto, tem pago testes para seus funcionários em caso de suspeita, o que torna a notificação mais efetiva.

Veja também

  • Câmara vota autorização para Prefeitura de João Pessoa adquirir vacinas

    Cidades

    Câmara vota autorização para Prefeitura de João Pessoa adquirir vacinas

     


  • Saiba o que pode e o que está proibido na Orla de João Pessoa

    Cidades

    Saiba o que pode e o que está proibido na Orla de João Pessoa

     


  • O que se sabe até agora sobre acusação de estupro contra MC Lan

    Famosos e TV

    O que se sabe até agora sobre acusação de estupro contra MC Lan

     

Dessa forma, apesar da rede privada representar só 20% do sistema de ensino no Estado, 30% dos 24.345 casos notificados (confirmados ou não) vieram dela. Entre os confirmados, a maioria é de mulheres – algo que segue o perfil de profissionais das escolas. A maior parte tem entre 40 e 49 anos.

Rastreio e frequência

Para a pediatra Luciana Becker, que também faz parte da comissão os dados podem ajudar as famílias a decidir sobre enviar ou não os filhos às aulas presenciais. O sistema pode também ajudar a rastrear os contatos que um aluno infectado teve, com cruzamento de dados de diários de classe digitais. Neste momento, no entanto, o Estado está em fase vermelha e o secretário da Educação, Rossieli Soares, pediu que apenas os “alunos que mais precisam” frequentem a escola.

O infectologista pediátrico Renato Kfouri, que não participou do estudo, diz que ele é importante porque demonstra, assim como outros internacionais, que a escola não aumenta a transmissão na comunidade. Dados internacionais indicam que as crianças representam cerca de 2% dos casos.

Jornal Lagoa News
Paulo da Costa
Jornalista e escritor, repórter do Jornal Lagoa News.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.