EUA compram mais 100 milhões de dose de vacina da Pfizer

eua-compram-mais-100-milhoes-de-dose-de-vacina-da-pfizer
Jornal Lagoa News
EUA já iniciaram vacinação com produto da Pfizer/BioNTech

EUA já iniciaram vacinação com produto da Pfizer/BioNTech
VBS/DDPS/Handout via Reuters

A Pfizer entregará 100 milhões de doses adicionais de vacinas contra covid-19 aos Estados Unidos até julho do ano que vem, informou a farmacêutica norte-americana nesta quarta-feira (23).

O acordo eleva o número total de doses a serem entregues aos EUA a 200 milhões, o que permite que 100 milhões de pessoas sejam vacinadas.

A Pfizer e sua parceira alemã BioNTech entregarão ao menos 70 milhões de doses até 30 de junho, e o saldo para completar 100 milhões de doses será entregue no máximo até 31 de julho, segundo a empresa.

O governo dos EUA pagará US$ 1,95 bilhão (R$ 10 bilhões) pelas 100 milhões de doses adicionais, o que eleva para quase US$ 4 bilhões (R$ 20,6 bilhões) o total pago à Pfizer.

O governo já tem um acordo com a Pfizer para receber 100 milhões de doses da vacina, que estão sendo distribuídas pelo país desde que esta obteve autorização de uso emergencial no início deste mês.

A vacina de duas doses da Pfizer é uma das duas que recebeu tal autorização nos EUA — a outra é a da rival Moderna, que se baseia em uma tecnologia semelhante.

O novo acordo ajudará os EUA a reforçarem seu suprimento de vacinas no momento em que enfrentam um pico nacional de infecções que provocou mais de um milhão de casos novos em somente seis dias, de acordo com uma contagem da Reuters.

Mais de 600 mil norte-americanos já receberam suas primeiras doses de vacina contra covid-19 até segunda-feira (21), segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC).

Jornal Lagoa News
Rubens Britto

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.