Diniz é 14º técnico no comando do São Paulo nos últimos seis anos

Jornal Lagoa News

Fernando Diniz entrou na longa lista de técnicos demitidos do São Paulo nos últimos seis anos. O técnico não resistiu à derrota para o Atlético-GO, no último domingo (31), e a perda de uma vantagem que chegou a dez pontos no Brasileirão. O Tricolor não vence desde 26 de dezembro, quando fez 2 a 1, no Fluminense, pelo Brasileiro. O time não levanta sequer uma taça desde 2012. Relembre todos os profissionais que passaram pelo Morumbi desde 2015…

O último treinador que desenvolveu uma trabalho mais longo no São Paulo foi Muricy Ramalho, na terceira passagem pelo clube. O tricampeão brasileiro com o Tricolor (2006, 2007 e 2008) comandou o time de setembro de 2013 até abril de 2015. Nessa passagem, foram 111 jogos, com 60 vitórias, 22 empates e 29 derrotas. Após acerto com a diretoria, ele deixou o time para cuidar da saúde, já que durante o trabalho teve problemas cardíacos e precisou se ausentar

Depois de Muricy, veio Juan Carlos Osório. O colombiano, que já tinha passagens por Once Caldas e Atlético Nacional, chegou com contrato de dois anos. Porém, deixou o clube após apenas seis meses para assumir a seleção do México. Ele treinou o Tricolor em 29 partidas, sendo 13 vitórias, sete empates e nove derrotas

Em 2015, Milton Cruz foi o treinador tampão do São Paulo, após a saída de Osório. O auxiliar técnico comandou o Tricolor em 14 jogos, sendo dez vitórias, uma derrota e três empates

Aí chegou Doriva. O treinador tinha história no São Paulo como jogador. Mas a passagem como técnico foi muito rápida. Foram só 33 dias e sete jogos, nos quais ele venceu dois, empatou um e perdeu quatro

O argentino Edgardo Bauza chegou no começo da temporada de 2016 com o objetivo de acabar com tantas trocas e levar o São Paulo novamente para os trilhos da organização e profissionalismo. Ele conseguiu levar o time à semifinal da Libertadores, quando foi eliminado pelo campeão Atlético Nacional. Foi então convidado para assumir a seleção argentina e deixou o cargo. Ao todo, foram oito meses de trabalho: 47 jogos, com 16 vitórias, 13 empates e 18 derrotas

Ricardo Gomes foi chamado para substituir Bauza. Mas também durou pouco e nem terminou 2016. Foram 18 jogos, com seis vitórias, cinco empates e sete derrotas. Um dos motivos alegados para a demissão foi a eliminação na Copa do Brasil para o modesto Juventude

A aposta do atual presidente Leco para ganhar a eleição no fim de 2016 foi Rogério Ceni. Um dos maiores ídolos do time seria o responsável por levar o São Paulo de volta à rotina de títulos. Mas ele não teve tempo para desenvolver o trabalho, mesmo após a direção vender jogadores importantes como David Neres, Ganso e Maicon. O ex-goleiro saiu em pouco mais de seis meses e deixou o time na zona de rebaixamento do Brasileiro. Foram 35 jogos, com 14 vitórias, 10 empates e 11 derrotas

O então auxiliar Pintado assumiu o comando do time duas vezes. Após as saídas de Ricardo Gomes e de Rogério Ceni. Como interino, ele comandou o time em três jogos, com duas vitórias e uma derrota

Ele então abriu espaço para Dorival Junior, que ficou quase um ano e foi demitido por Leco após derrota para o Palmeiras. Ao todo, foram 40 partidas, com 17 vitórias, 11 empates e 12 derrotas

O uruguaio Diego Aguirre foi contratado para ficar até o fim de 2018, mas a desorganização do clube não deixou que isso acontecesse. O treinador fez o São Paulo ganhar o primeiro turno do Brasileiro, mas uma queda de produção fez com que ele acertasse sua saída após 10 meses. No total, foram 43 jogos: 19 vitórias, 15 empates e nove derrotas

Após isso, a solução encontrada por Leco foi transformar André Jardine no treinador do time principal, deixando as categorias de base do São Paulo. Mas ele não resistiu à eliminação na fase prévia da Libertadores de 2019 para o pequeno Talleres. Ele comandou o time em 15 jogos, com seis vitórias, três empates e seis derrotas

Em 2019, o coordenador técnico Vagner Mancini comandou o São Paulo em dez jogos, com três vitórias, quatro empates e três derrotas. Ficou como interino até que Cuca pudesse trabalhar, após se tratar de problemas cardíacos. A segunda passagem de Cuca no comando Tricolor também foi curta. Foram 26 jogos, com nove vitórias, dez empates e sete derrotas. A eliminação na Copa do Brasil para o Bahia e apresentações irregulares no Brasileiro derrubaram o técnico

Aí veio a era Fernando Diniz… Leco e Raí mostraram profissionalismo ao manter o técnico após eliminações no Campeonato Paulista, Libertadores, Copa Sul-Americana e Copa do Brasil. Mas, com novo presidente e após perder vantagem que chegou a dez pontos na liderança do Brasileiro, o treinador não resistiu. Foram 74 jogos, 34 vitórias, 20 empates e 22 derrotas

Jornal Lagoa News

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.