Decretado o toque de recolher na capital sul-mato-grossense

Proibido sair de casa das 22:00h até às 05:00h

Jornal Lagoa News

O prefeito de Campo Grande (MS), Marquinhos Trad (PSD), que vêm buscando medidas preventivas cautelares de emergência, há alguns dias tem se reunido com sua equipe  no sentido de conter o fluxo de pessoas nas ruas durante à noite. Inclusive, nas primeiras horas deste sábado, o gestor já cogitava decretar o Toque de Recolher, o que aconteceu neste momento.

A medida, com fundamento na Lei Federal 13.979, passa a valer a partir de hoje (21) em todo o território municipal e se estende até o dia 05 de abril de 2020, no horário das 22h até às 5 horas. Quem for encontrado fora de casa durante o período determinado será preso. O prefeito explicou que tem ocorrido grande aglomeração de pessoas nesse período da noite; “muitas pessoas não estão preocupadas com a propagação do coronavírus ou não tem a devida noção do perigo”, disse o prefeito.

Parte do decreto estabelece que: “Fica determinado toque de recolher a partir do dia 21 de março a 5 de abril de 2020, das 22 horas até às 5 horas do dia seguinte, para confinamento domiciliar obrigatório em todo território do Município de Campo Grande, ficando terminantemente proibido a circulação de pessoas, exceto quando necessária para acesso aos serviços essenciais e sua prestação, comprovando-se a necessidade ou urgência.”

A gerência operacional da Guarda Civil Metropolitana está disponibilizando um contingente de 100 guardas municipais que farão o trabalho de orientação e fiscalização ostensiva com 50 viaturas. Quem não obedecer ao toque de recolher poderá ser preso; salvo no caso de urgente necessidade para o acesso aos serviços essenciais, quando houver a devida comprovação da necessidade.

O Secretário Especial de Segurança (Sesdes), Valério Azambuja, que acompanhava o prefeito, declarou que “o toque de recolher é uma medida de exceção, mas que precisa ser tomada de forma preventiva.”

Jornal Lagoa News
Rubens Britto

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.