Congressistas pedem suspensão de edital do MEC de R$ 515 mil

congressistas-pedem-suspensao-de-edital-do-mec-de r$-515-mil
Jornal Lagoa News

Senador Alessandro Vieira, um dos autores da ação

Waldemir Barreto/Agência Senado

Parlamentares do Movimento Acredito protocolaram, nesta sexta-feira (26), representação ao TCU (Tribunal de Contas da União) requerendo a suspensão do editado publicado pelo Ministério da Educação para contratação de consultores para avaliação de alfabetização no Ensino Fundamental.

O documento é assinado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e os deputados federais Tabata Amaral (PDT-SP) e Felipe Rigoni (PSB-ES). Para os congressistas, a publicação dos editais de contratação de consultores apresenta ilegalidades, além de ser um gasto desnecessário aos cofres públicos.

De acordo com a representação, a Sealf/MEC (Secretaria de Alfabetização do Ministério da Educação), em conjunto com a Unesco, publicou 11 editais de contratação de consultor na modalidade produto, com o objetivo de fortalecer as ações na pasta, conforme diretrizes da PNA (Política Nacional de Alfabetização).

Veja também

  • MEC amplia para 14 de abril prazo para convocação de espera do Fies

    Educação

    MEC amplia para 14 de abril prazo para convocação de espera do Fies

     


  • Repasse do Fundeb em 2021 será de R$ 179 bilhões, diz ministro

    Educação

    Repasse do Fundeb em 2021 será de R$ 179 bilhões, diz ministro

     


  • Governo inclui profissionais da Educação em grupo para vacina

    Brasil

    Governo inclui profissionais da Educação em grupo para vacina

     

Os editais vistam a contratação de 20 consultores externos para atuarem na reformulação de avaliação para alunos do Ensino Fundamental.

Para os parlamentares, os produtos deveriam ser realizados pelo corpo técnico do Inep (Instituto Nacional de Pesquisas e Estudos Educacionais), órgão responsável pela avaliação e exames. Os congressistas argumentam que o Inep é o mais adequado para desenvolver os produtos, além de gozar de autonomia institucional.

“A contratação de consultores externos é indesejável, uma vez que já existe uma Instituição apta para essa produção, além de acarretar aos cofres públicos um gasto total de R$ 515 mil reais”, afirma o grupo.

“Não se pode admitir que verbas do erário sejam utilizadas de maneira desnecessária para a contratação de consultores externos se já há recursos humanos e materiais, especialmente do INEP, à disposição para execução de tarefas previstas nos editais sob exame.”

Jornal Lagoa News
Paulo da Costa
Jornalista e escritor, repórter do Jornal Lagoa News.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.