Comerciantes, pequenos e médios empresários se levantam contra a quarentena gerenciada pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD).

“É possível que pessoas mais pobres não consigam atendimento" - diz o prefeito Marquinhos Trad.

Jornal Lagoa News

Incomodados com a quarentena decretada no município de Campo Grande, e preocupados com o possível colapso dos seus empreendimentos, alguns comerciantes e empresários, principalmente da área central da cidade, levaram a efeito uma carreata ontem (27) pela Avenida Afonso Pena e ruas centrais buscando quebrar a ordem das precauções com a contaminação do novo coronavírus que transmite a terrível doença da Covid-19.

Segue após o vídeo

Todavia, mesmo pressionado, o prefeito da capital sul-mato-grossense, Marquinhos Trad (PSD), que vem lutando de modo resoluto para que a pandemia não se alastre nas cercanias do município de sua gestão, vê seu trabalho de proteção ao coronavírus compelido por interesses econômicos. Eis que um grupo parcimonioso, voltado para a manutenção de suas pequenas e médias empresas, fontes de renda e sobrevivência econômica de cada um deles, se levanta publicamente para protestar pelo funcionamento e reabertura de seus pontos comerciais alegando prejuízos econômicos, principalmente porque a maioria deles, mais de 90%, são locadores dos imóveis onde operam seus pontos comerciais e empreendimentos diversificados.

Resoluto, com dados práticos em sua agenda, o prefeito Marquinhos Trad apresenta para os munícipes o fato palpável de que Campo Grande possui apenas e tão somente 256 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para atendimento a possíveis pacientes infectados com o Covid-19. Então, neste aspecto, contando com os recursos do município, isso aponta para um profícuo trabalho de contingenciamento na prevenção do contágio ao novo coronavírus; pois, seria indelével abrir mão da vigilância e prevenção ao novo coronavírus considerando que se trata de uma pandemia que está assolando o mundo.

Interesses particulares, econômicos, devem estar em segundo plano quando se trata de um problema de saúde pública, ou seja, a saúde dos seres humanos jamais deverá ser submetida a interesses exclusivistas, monetários. Como dizia o saudoso Rui Barbosa: “Não há dinheiro no universo que pague o valor de uma vida”.

Todo o cuidado que se possa aplicar a população exposta ao novo coronavírus ainda é pouco, principalmente considerando o esclarecimento do prefeito Marquinhos Trad no sentido de que “é possível que pessoas mais pobres não consigam atendimento”, pois os leitos das Unidades de Tratamentos Intensivos (UTIs) disponíveis e os recursos médicos, tais como respiradores e profissionais  que possam atender um número excessivo de casos ,não são suficientes.

Jornal Lagoa News
Rubens Britto

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.