Carreata contra a quarentena é parada em blitz da Agetran

Equipe de reportagem: Paulo Costa, Ricardo Batista e João Diomedece

Jornal Lagoa News

 

Um grupo de pelo menos 120 manifestantes, empresários e comerciantes preocupados com a paralisação dos seus empreendimentos por causa da pandemia do coronavírus, na condução dos seus veículos subiram a Avenida Afonso Pena sentido Parque dos Poderes ostentando em alto e bom som, com forte buzinaço, um movimento para tentar reverter o isolamento social recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Entretanto, quando retornaram pela pista da direita descendo a principal avenida de Campo Grande foram surpreendidos por uma blitz montada pela Agência Municipal de Transporte e Transito (Agetran) que afunilou a pista e exigiu que cada um dos veículos fossem submetidos à fiscalização de documentos dos condutores e dos automóveis envolvidos no movimento.

Apesar do alvoroço, de modo plausível e agindo com um gerenciamento ordeiro, os agentes de transporte e trânsito conseguiram conter os ânimos.  Houve o contingenciamento da carreta porque cada motorista foi sendo liberado periodicamente,  evitando novo ajuntamento.

Segue após publicidade

Houve gritaria dos empresários e comerciantes que no volante dos seus carros se levantaram contra a fiscalização dos agentes de trânsito; exigiam liberdade para suas manifestações e acusaram a fiscalização de realizarem uma imposição política. Em vão, pois, não obstante os xingamentos e insatisfações dos motoristas, os fiscais da Agetran prosseguiram nas abordagens e vistoria da frota que compunha o movimento em favor da abertura e funcionamentos de suas empresas, lojas e comércios diversos.

Até o fechamento desta edição a reportagem do Lagoa News não conseguiu obter o saldo da operação realizada; pois, além de fiscalizar a passagem da carreata a Agetran continuou com a blitz naquele local, o que dificultou a obtenção do resultado concernente a manifestação pública.

Jornal Lagoa News
Rubens Britto

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.