Árbitras na história: Relembre mulheres pioneiras no esporte

Jornal Lagoa News

O último fim de semana esportivo foi marcado por dois destaques na luta pela igualdade de gênero também no esporte. As árbitras Edina Batista, no futebol, e Saraha Thomas, na NFL, entraram para a história

Edina Alves Batista se tornou a primeira mulher a apitar um jogo masculino profissional da Fifa. Ao lado das auxiliares Neuza Back, também brasileira, e de Mariana de Almeida, argentina, o trio atuou na partida entre Al Duhail e Ulsan Hyundai FC, pelo Mundial de Clubes 2020

Sarah Thomas foi a primeira mulher a trabalhar como árbitra em um Super Bowl. Ela estava em campo na vitória do Tampa Bay Buccaneers sobre o Kansas City Chiefs. A partida está marcada na carreira de Tom Brady, que tornou-se o atleta mais vezes campeão da NFL de que qualquer time, e de Sarah Thomas. Confira outras mulheres pioneiras no esporte mundial:

Marta é a jogadora de futebol mais vezes escolhida como Melhor do Mundo… A Rainha foi escolhida seis vezes,  2006, 2007, 2008, 2009, 2010 e 2018

Depois de quase morrer em um acidente grave em Portugal, em 2013, Maya Gabeira entrou para o Guinness Book por ter surfado uma onda de 20 metros. Ela tornou-se a primeira mulher surfista a entrar para o famoso livro dos recordes

O ouro de Maurren Maggi no salto em distância, na Olimpíada de Pequim, em 2008, não entrou somente para a história do atletismo do Brasil. Ela foi a primeira campeão olímpica individual da América do Sul

Quando o assunto é pioneirismo feminino, a tenista Billie Jean King não pode ser esquecida. Ela foi uma das principais atletas da modalidade nos anos 70, com conquistas de 12 Grand Slams, os mais importante torneio de tênis do mundo. Além disso, foi importante na luta contra a desigualdade de gênero e protagonizou a ‘Batalha dos Sexos’, partida amistosa que jogou contra Bobby Riggis. O jogo virou filme, em 2017, chamado de “A Guerra dos Sexos”

A alemã Staffi Graf também é destaque no tênis. Ela única atleta, entre homens e mulheres, a conquistar a conquistar um Golden Slam, ou seja, foi campeã Olímpica e de todos os Grand Slams na mesma temporada, em 1988

A norte-americana Danica Patrick é dona da única vitória de mulheres na Indy. Em 2008, ele venceu o Indy Japan 300 e em 2009 foi a primeira a conseguir subir no pódio das 500 Milhas de Indianápolis, uma das provas mais tradicionais do automobilismo

Kathrine Switzer foi a alemã que resolveu brigar pela igualdade de gênero nas corridas de rua. Ela foi a primeira mulher registrada a correr a Maratona de Boston, em 1967. Na época mulheres eram proibidas nas provas e Switzer foi fisicamente atacada pelo diretor da corrida por se registrar oficialmente e participar da Maratona.

Em 1966, Roberta Gibb escondeu-se atrás de um arbusto perto da largada e completou a Maratona de Boston em 3h21min25. Em entrevista, após corrida, ela disse que o objetivo, não era fazer uma declaração feminista, mas sim medir seu próprio potencial

Jornal Lagoa News
Paulo da Costa
Jornalista e escritor, repórter do Jornal Lagoa News.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.